"Putin não pode mais vencer na Ucrânia", diz Scholz

"Putin não pode mais vencer na Ucrânia", diz Scholz

O presidente russo, Vladimir Putin, "não pode mais vencer no campo de batalha, isso está claro", afirmou o chanceler federal alemão, Olaf Scholz, nesta quarta-feira (23/11).

Numa coletiva de imprensa com o presidente do Chipre, Nikos Anastasiadis, em Berlim, Scholz pediu à Rússia o fim imediato do "terror dos bombardeios contra a população civil".

"Não só é insuportável, mas uma violação flagrante do direito internacional que a Rússia lance suas bombas contra a infraestrutura civil na Ucrânia há semanas", acrescentou Scholz.

O chefe de governo da Alemanha também disse que as ações da Rússia mostram mais uma vez "como Putin é implacável e impiedoso" nesta guerra que começou há nove meses.

"Por isso meu apelo a Putin permanece: acabe com a matança sem sentido, retire completamente suas tropas da Ucrânia e concorde com as negociações de paz com a Ucrânia", afirmou Scholz.

Macron falar com Putin sobre usina nuclear

Enquanto isso, o presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou que quer falar em breve com Putin. "Pretendo ter contato direto com ele nos próximos dias", disse Macron a jornalistas em Paris.

Segundo o presidente da França, na pauta estariam a "energia nuclear civil" e a usina nuclear de Zaporíjia. Houve repetidos ataques à usina nuclear, que fica na linha de frente dos conflitos no sul da Ucrânia. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) apontou "ataques direcionados" pelos quais Kiev e Moscou se culpam mutuamente.

Na quarta-feira, a AIEA comunicou em uma declaração que a usina nuclear de Zaporíjia teve novamente cortado o fornecimento externo de energia. A usina, que fica numa região anexada pela Rússia, depende agora de geradores de emergência a diesel. Em outubro, Putin emitiu um decreto colocando a usina nuclear sob administração russa.