Ataques a escolas no ES deixam ao menos 3 mortos

Ataques a escolas no ES deixam ao menos 3 mortos

Duas escolas do município de Aracruz, no Espírito Santo, foram alvo de ataques a tiros nesta sexta-feira (25/11). Segundo a polícia, ao menos três pessoas morreram e nove ficaram feridas nos ataques, executados por um homem armado ainda não identificado e que permanece foragido.

Ao jornal capixaba A Gazeta, a PM estadual afirmou que os ataques ocorreram por volta de 9h30 no horário de Brasília. O agressor atacou inicialmente a Escola Estadual Primo Bitti, invadindo a sala de professores com uma pistola. Seis pessoas foram baleadas no local, e duas morreram.

Imagens de uma câmera de segurança divulgadas pela imprensa local mostram o agressor usando uma máscara e roupas camufladas.

Na sequência, o atirador entrou num veículo modelo Renault Duster com as placas encobertas e se dirigiu ao Centro Educacional Praia de Coqueiral (CEPC), uma escola particular que fica na mesma rua do primeiro colégio. Durante o segundo ataque, o agressor baleou mais cinco pessoas e uma delas morreu no local.

As identidades e idade das vítimas não foram divulgadas.

Inicialmente, segundo o jornal A Gazeta, a PM informou que o atirador seria um aluno de uma das escolas, mas a informação foi posteriormente corrigida. A identidade do suspeito ainda não foi divulgada.

Após os ataques, a prefeitura de Aracruz informou que as aulas em todas as escolas da rede municipal foram suspensas, atendendo orientação da Polícia Militar. Aracruz, cidade de 100 mil habitantes, fica a cerca de 80 quilômetros ao norte da capital do estado, Vitória.

Pelo Twitter, o governador do estado, Renato Casagrande (PSB), confirmou os ataques. "Com sentimento de pesar e muita tristeza, estou acompanhando de perto a apuração da invasão nas escolas", publicou Casagrande.

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social informou que o titular da pasta, coronel Márcio Celante, está a caminho de Aracruz.

Outros ataques

Nos últimos anos, o Brasil foi palco de outros ataques em escolas. Em 2021, um jovem de 18 anos invadiu um creche do município catarinense de Saudades com um facão e matou duas funcionárias e três bebês menores de 2 anos.

Em 2019, dois ex-alunos de uma escola estadual em Suzano, na Grande São Paulo, mataram sete pessoas na unidade e deixaram 11 feridos. Um dos agressores acabou matando o comparsa e depois cometeu suicídio.

Em 2011, ocorreu um dos mais trágicos massacres em escolas brasileiras: o ataque do Realengo. Na ocasião, um ex-aluno de 23 anos invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira, na zona oeste do Rio de Janeiro, e disparou contra vários alunos de 13 a 15 anos, deixando 12 crianças mortas.